Curtir Twittar Publicado em | Capelania

header-capelania-portuaria

Semelhante à Polícia Militar a autoridade portuária, aduaneira, marítima, sanitária e de Polícia Marítima, também apresenta as mesmas dificuldades e enfrenta os mesmos desafios.

A Polícia Marítima ou Guardas Portuárias são compostas, em sua guarnição, de policiais que velam pela Costa Marítima Brasileira. Os portos são pontos de interesse vários crimes, desde raptos de piratas até mesmo crime organizado, contrabando, tráfico de entorpecentes e mercadorias, roubo de cargas e prostituição, entre outros delitos.

Não podemos deixar de fora, porém, o marujo que trabalha nas Docas, assim como os demais tripulantes e funcionários administrativos. As pessoas que ali trabalham podem vislumbrar as águas oceânicas diariamente, todavia precisam ser alcançadas pelas Águas da Fonte da Vida. Elas enfrentam além da periculosidade característica do trabalho, estresse e às vezes a distância da família e do aconchego do lar, o que possibilita a ausência de pertencimento, a perda da afeição natural e o desgaste relacional.

A igreja tem todos os requisitos para levar a estas “tribos” através da Capelania Portuária ou Marítima, consolo, auxílio espiritual, esperança, orientação e salvação a todos que crerem.

“…o Senhor tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés” (Naum 1:3).

Às vezes o marujo fica em alto mar por meses distante do lar e mesmo tendo muitas tarefas, pode dedicar-se às orações, à leitura bíblica e à comunhão com os demais irmãos enquanto navegam. Faz-se mister, desse modo, falar-lhes do Amor de DEUS e oferecendo-lhes cobertura intercessória por ocasião de sua ausência, a fim de que o SENHOR os livre do mal e da desoladora solidão que arruína os corações quando a borrasca se aproxima.

“Faz cessar a tormenta, de modo que se acalmam as ondas” (Sl 107:29).

www.capelaniabrasileira.com.br/contato/